Como surgiu o pão?




Pão: Seu surgimento na história


Relatos históricos indicam que o surgimento do pão se deu na Antiga Mesopotâmia (Iraque atual), há aproximadamente 12 mil anos, no início do cultivo do trigo.
O pão feito inicialmente era bem rústico, pois, o trigo era triturado em pedras para ser transformado em farinha. Depois disso, passou-se a misturar ingredientes à farinha como: azeite, tâmaras esmagadas, suco de uva, ovos e carne moída, dando origem a uma espécie de bolo que era assado em pedras quentes ou em cinzas.
Por serem muito duros e amargos, os primeiros pães eram passados em água fervente antes de serem comidos. Esse processo deixava o pão menos duro e tirava o amargo da massa.

Início da produção do fermento de pão

Somente depois de muito tempo, cerca do ano 7.000 a.C., o pão começou a ser cozido em fornos de barro, e, segundo alguns historiadores, foi a partir daí que se iniciou a produção do fermento.
O processo de fermentação natural do pão é muito simples, bastando que a massa fique guardada em um local não muito frio e com umidade, para que a ação dos fungos presentes no ar e em contato com a massa, passem a produzir uma levedura na massa, dando início ao seu crescimento.
Acrescentando um pedaço da massa fermentada de um dia a uma nova massa, a fermentação é acelerada, surgindo daí o processo de fermentação da massa de pão.
Com o passar dos tempos, o fermento passou por melhorias para aceleração do crescimento da massa do pão, até chegar aos fermentos atuais como o biológico, seco e o químico para bolos.

 Desenvolvimento do pão

Os principais ingredientes para a panificação são: farinha de trigo, água, sal e fermento, e os variáveis podem ser o açúcar, gorduras, leite, enzimas e outros.

Farinha

A farinha de trigo é o ingrediente responsável pela estrutura da massa do pão e, também, faz com que os demais ingredientes fiquem unidos.
Os principais componentes da farinha de trigo são as proteínas e o amido que formam o glúten. É por causa do glúten que a massa fica elástica, e não quebra ao ser estendida ou passada pelo cilindro de massa.

Água

É o ingrediente básico para a formação da massa do pão, e tem como função hidratar a farinha, fazendo com que o glúten produza elasticidade na massa.
A água também dá consistência e controla a temperatura da massa, além de dissolver o fermento, o açúcar e os sais, fazendo o pão torna-se mais apetitoso.

Fermento

O fermento é o que faz a massa do pão crescer pela liberação de gás carbônico. É com essa reação química que a rede de glúten se forma e faz com que a massa fique elástica. O agente principal da fermentação do pão é a levedura “saccharomyces cerevisae”.

Sal

Embora sua porcentagem seja pequena na receita da massa do pão, o sal tem como funções principais estabilizar o glúten, normalizar a atividade do fermento, dar sabor e melhorar o aspecto visual do pão, dando cor a sua crosta e deixando o seu miolo mais branco.


O pão foi, com certeza, um dos principais alimentos elaborados pelo homem, na transição da Pré-História para a História, inclusive a Bíblia cita o pão tanto no antigo como no Novo Testamento, e para os cristãos, até hoje, ele simboliza o corpo de Cristo.



“o homem, ao controlar o fogo passou a utilizá-lo: assou carne, cozinhou verduras e raízes, depois empregou no fabrico do pão”. Alfredo Saramago, em seu livro “Doçaria Conventual do Norte – História e Alquimia da Farinha” 


Fontes

Fonte: paindelavie.vilabol.uol.com.br
www.scribd.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Alzheimer: Alimentação Saudável e Ácido Fólico

Melancia e Suas Propriedades

Nutrientes e Suas Funções